Efeitos da Guerra

Os preços do petróleo e grãos produzidos pela América Latina dispararam devido à guerra na Ucrânia, uma situação que à primeira vista parece positiva para a economia regional, mas tem um outro lado: a volta da inflação galopante, dos alimentos e do combustível em disparada.
O FMI alertou: a invasão russa da Ucrânia provoca uma onda de choque que desencadeia o custo dos alimentos e da energia, com impactos “substanciais em alguns casos”.
O choque é generalizado e com extremos de mais de 50% na Argentina, mais de 10% no Brasil, e hiperinflação endêmica na Venezuela. Algumas nações latino-americanas são importadoras líquidas de petróleo, de modo que o forte aumento dos produtos energéticos – o petróleo atingiu seu máximo histórico de 147,5 dólares o barril há 10 dias – prejudica suas finanças.
A Colômbia, cuja principal exportação é o petróleo bruto, e o México, cuja cesta de petróleo subiu de preço, tentarão compensar o aumento dos preços dos alimentos com extras de ouro negro.

Leia mais

Imposto de Renda 2022: Como fica a declaração de quem morreu neste ano?

Se algum parente faleceu no começo deste ano e não chegou a fazer a declaração do Imposto de Renda 2022, outra pessoa próxima deve se responsabilizar pelo preenchimento do documento e envio à Receita Federal.

É importante destacar que a declaração do IR 2022 se refere às rendas e despesas do falecido no ano passado (ano-calendário 2021), quando ele ainda estava vivo. Portanto, não se trata de uma declaração inicial de espólio. A declaração do IR 2022 do parente falecido neste ano será igual à de uma pessoa viva.

A declaração inicial de espólio será feita somente no IR 2023, uma vez que ele morreu em 2022. Veja a seguir como fazer a declaração do falecido referente ao IR 2022.

Quem fica responsável?

A primeira coisa é descobrir se a pessoa que faleceu era obrigada a declarar. Basta que o falecido se enquadre em uma das exigências para declarar que será obrigado a apresentar o documento à Receita Federal.

Neste caso, o cônjuge ou companheiro deverá fazer a declaração. Se ele não era casado, um filho, pai, irmão ou outro familiar próximo pode assumir a responsabilidade. Quem fizer a declaração em nome da pessoa falecida deverá relacionar todos os rendimentos, despesas, dívidas e bens que estavam em nome dele.

Como fazer se houver imposto a pagar ou a restituir?

Se a declaração do falecido acusar imposto a pagar, o responsável pelo preenchimento do IR 2022 deverá pagar a primeira parcela ou fazer o pagamento à vista do imposto dentro do prazo de entrega da declaração. Caso contrário, haverá cobrança de multa. Se houver bens, os herdeiros respondem por qualquer dívida tributária que a pessoa deixou, no limite da herança.

Por outro lado, se houver imposto a restituir, a pessoa responsável pela declaração deverá informar na declaração uma conta bancária em nome do falecido.

Se ele não possuir uma, você terá que procurar o Banco do Brasil para ter acesso à restituição. Se a pessoa não deixou nenhum bem e não for preciso abrir inventário, a restituição só será liberada mediante requerimento dirigido à Receita Federal. Será preciso apresentar documentação emitida pela Previdência para comprovar a existência de herdeiros

Caso o falecido não tenha bens nem herdeiros, será obrigatória a apresentação de alvará judicial ou de escritura pública extrajudicial que defina o direito do sucessor sobre a restituição e o percentual a ser pago.

Mas se o falecido deixou bens, nesse caso será necessário abrir um inventário. Logo, o recebimento da restituição pelo inventariante irá depender do alvará judicial expedido pelo juiz responsável pelo processo.

Declaração em conjunto facilita processo

Outra opção é que a declaração do falecido seja feita em conjunto com o cônjuge. Nesse caso, todos os bens do casal seriam relacionados nessa única declaração, facilitando também o processo de recebimento da restituição.

Ao declarar em conjunto, todos os rendimentos tributáveis do casal, assim como todas as deduções permitidas por lei, são somados e informados na mesma declaração.

Declaração de espólio deve ser feita a partir de 2023

No caso de o falecido ter deixado bens e herdeiros, será necessário a abertura de um processo de inventário. Uma pessoa da família será o inventariante, ou seja, ficará responsável pelo acompanhamento do processo e pelo preenchimento das declarações de Imposto de Renda em nome do espólio, que é o conjunto dos bens da pessoa que morreu.

Existem três tipos de declarações de espólio que devem ser feitas, conforme cada etapa do processo de inventário:

Declaração Inicial de Espólio: deve ser feita no ano seguinte ao falecimento. Portanto, se a pessoa morreu em 2022, a declaração inicial de espólio deverá ser feita apenas em 2023 pelo inventariante.

Declaração Intermediária de Espólio: é feita a partir do ano seguinte ao da declaração inicial, até o ano anterior ao da decisão judicial sobre a partilha. Como alguns processos podem levar anos, é preciso declarar anualmente até sua conclusão.

Declaração Final de Espólio: quando a decisão judicial da partilha é concretizada, o inventariante fica então obrigado a entregar a declaração final de espólio.

Se falecido não deixou bens, dê baixa no CPF dele

Para quem não deixou bens a inventariar, basta que os herdeiros peçam o cancelamento do CPF, dirigindo-se a uma unidade da Receita Federal, munidos de certidão de óbito, documentos pessoais do falecido e documentos que comprovem a relação de parentesco.

Quando há inventário para partilha de bens, o CPF é cancelado com a entrega da declaração final de espólio.

Fonte: Portal UOL

Leia mais

Previdência complementar se torna tendência dentro de empresas

As empresas brasileiras têm apostado cada vez mais na previdência complementar como estratégia para a atração e retenção de seus talentos. Segundo dados da 30ª Pesquisa de Benefícios Corporativos, elaborada pela Mercer e pela MercerMarshBenefícios, 51% das companhias nacionais oferecem o benefício a seus colaboradores. O levantamento foi realizado com 737 empresas, sendo a Mercer Brasil a responsável pela análise sobre previdência.

“O número de empresas que possuem previdência complementar tem crescido nos últimos anos, o que corrobora a aposta no benefício como parte importante das políticas de RH. Temos observado em nossa base de clientes uma tendência importante de aposta na previdência privada não apenas como parte de um pacote voltado à captação e retenção de talentos, mas também como um instrumento fundamental na jornada financeira das pessoas em tempos tão desafiadores como o que estamos vivendo”, explica Felipe Bruno, líder da área de Previdência da Mercer Brasil.

O ganho de relevância da previdência complementar é alicerçado por outros elementos apresentados pela pesquisa. Mudanças sísmicas recentes como a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista, o processo de queda das taxas de juros e os efeitos da pandemia tem despertado indivíduos e empresas para a necessidade do planejamento de longo prazo e de educação financeira, o que tem gerado um incremento no volume de empresas que oferecem o benefício.

A Mutuoprev está apta para realizar convênios de adesão com as empresas de todos os portes que queiram ter este instrumento como política de recursos humanos sem ônus financeiro para elas.

Leia mais

MUTUOPREV – PLANOS DE BENEFÍCIOS I, II e ABEFINPREV – CONTRIBUIÇÕES EVENTUAIS/EXTRAS/VOLUNTÁRIAS

Este é um recado dirigido a você, participante da MUTUOPREV, que faz a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda no Modelo Completo.

A legislação que rege o IR permite deduzir até 12% do rendimento bruto para o cálculo do Imposto de Renda a pagar, e o presente momento é o ideal para aportar recursos nos Planos da MUTUOPREV, pois toda contribuição efetuada durante o ano é dedutível até o porcentual acima citado.

Ex:- se o seu rendimento bruto anual é de R$ 100.000,00 (cem mil reais), você poderá deduzir até 12% (doze por cento) das contribuições vertidas para o Plano durante o ano, ou seja, até R$ 12.000,00 de dedução, além de outros fatores favoráveis proporcionados aos participante de planos de previdência complementar, os quais elencamos abaixo:

Financeiros e Fiscais:

• Planejamento financeiro de longo prazo;
• Não há tributação durante todo o período de acumulação da reserva de capital;
• Possibilidade de escolha do Regime de Tributação mais favorável (Progressivo ou Regressivo);
• Haverá incidência de Imposto de Renda somente no momento do recebimento de renda (aposentadoria ou pensão);

Planejamento Sucessório:

• O valor acumulado não integra o inventário, garantindo liquidez rápida para os beneficiários;
• Flexibilidade na indicação dos beneficiários, podendo alterá-los ou modificar os porcentuais de distribuição da cota parte a qualquer momento;
• Livre da incidência dos seguintes custos de inventário: Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação – ITCMD (imposto estadual), custas judiciais e honorários advocatícios;

O aporte poderá ser feito por intermédio da Contribuição Extra/Eventual/Voluntária em valor definido pelo Participante a qualquer tempo e valor, porém, caso tenha interesse em se beneficiar do incentivo fiscal na declaração de ajuste anual a ser entregue em 2021, manifeste-se por escrito até 26.11.2020 (se o seu desconto é em holerite) ou 11.12.2020 (se o seu desconto é em conta corrente ou boleto bancário).

Para tanto, acesse o site www.mutuoprev.com.br e obtenha o impresso adequado clicando no link da home Page Plano I, Plano II ou Abefinprev “formulários” – “Contribuição Eventual” , “Contribuição Extra”, “Contribuição Voluntária”, respectivamente,. Após, preencha com o novo valor, assine e remeta para o endereço: Rua Líbero Badaró, 293 – 31º – conj. 31-A – CEP 01009-000 – Centro – S. Paulo – SP, ou nos contate pelo telefone 3244 2540 ramais 200/213/229/238 ou 0800.778.2222.

MUTUOPREV DIRETORIA

Leia mais

Atendimento da Mutuoprev em decorrência do COVID-19

A partir de 25.03.2020, em consonância com as determinações das autoridades sanitárias, o atendimento presencial está suspenso.

 

Os trabalhos ocorrerão em teletrabalho – home office.

 

Os atendimentos dar-se-ão pelo FALE CONOSCO, no sítio da Mutuoprev ou diretamente no email: mutuoprev@mutuoprev.com.br, no horário das 10h às 16h.

 

Diretoria Executiva Mutuoprev.

Leia mais